Diagnóstico e Tratamento

Quimioterapia

Quimioterapia utiliza medicamentos para destruir células cancerígenas, podendo ser administrado por via intravenosa (injeção na veia) ou via oral (ingestão de comprimidos). Muitas vezes são utilizados mais de um tipo de quimioterápico para um mesmo tratamento, sendo que o médico utiliza um protocolo de tratamento para definir a quantidade de quimioterápico que deve ser usado, como eles devem ser combinados e em que momento devem ser aplicados. A quimioterapia é feita em ciclos, sendo um período de tratamento seguido por um período de descanso. Apesar de ser um tratamento muito utilizado, a quimioterapia pode trazer alguns efeitos colaterais, os mais comuns são: queda de cabelo, enjoos, vômitos, aftas, diarreia e perda do apetite. Dependendo do quimioterápico usado, alguns desses efeitos podem ser mais fortes do que o outro ou até podem não existir para alguns pacientes.

Referências:
Instituto Nacional do Câncer – INCA.
Instituto Oncoguia.
Hospital do Câncer de Barretos.

A Administração dos remédios quimioterápicos é feita por:

• Via oral: Através de comprimidos e cápsulas.
• Via intravenosa: Aplicações diretamente no sangue, através da veia.
• Via subcutânea: Aplicações injetáveis no tecido subcutâneo, ou seja, abaixo da pele.
• Via intramuscular: Injeções aplicadas no músculo.
• Via intracavitária: Aplicada dentro de cavidades do corpo, como tórax e abdome.
• Via intratecal: Aplicadas pela espinha dorsal, diretamente no liquor.
• Via Port-a-Cath: Aplicado através de catéter utilizado nos casos de acesso venoso difícil, em quimioterapia de longa duração.
• Uso tópico: Aplicação diretamente sob a pele, como uso de loções, pomadas e cremes.