Diagnóstico e Tratamento

Radioterapia

A radioterapia consiste, por sua vez, em danificar o DNA das células cancerosas utilizando a radiação. Existem 2 tipos gerais: a radioterapia externa e a braquiterapia. Na radioterapia externa, uma fonte externa de radiação é utilizada, provocando um feixe que atinge o tumor. A angulação dos feixes é muito importante, pois, no trajeto para danificar o tumor, a radiação penetra células saudáveis. Na braquiterapia, a fonte de radiação é interna, vindo do interior do corpo do paciente. Isótopos radioativos são inseridos no tecido alvo, liberando doses de radiação locais que, por conseguinte, afetam em menor escala os tecidos saudáveis.

Referências:
Instituto Nacional do Câncer – INCA. Quimioterapia.
Instituto Oncoguia. Tratamento quimioterápico no câncer de mama.
Hospital do Câncer de Barretos. Quimioterapia.

A Administração dos remédios quimioterápicos é feita por:

• Via oral: Através de comprimidos e cápsulas.
• Via intravenosa: Aplicações diretamente no sangue, através da veia.
• Via subcutânea: Aplicações injetáveis no tecido subcutâneo, ou seja, abaixo da pele.
• Via intramuscular: Injeções aplicadas no músculo.
• Via intracavitária: Aplicada dentro de cavidades do corpo, como tórax e abdome.
• Via intratecal: Aplicadas pela espinha dorsal, diretamente no liquor.
• Via Port-a-Cath: Aplicado através de catéter utilizado nos casos de acesso venoso difícil, em quimioterapia de longa duração.
• Uso tópico: Aplicação diretamente sob a pele, como uso de loções, pomadas e cremes.