Notícias

Imunoterapia aprovada para o tratamento do câncer de mama metastático nos EUA

14 de março de 2019

O câncer de mama subtipo triplo-negativo contempla aqueles tumores com ausência de expressão de receptores de estrógeno, progesterona e amplificação de HER-2.

Classicamente esse subtipo é associado a um prognóstico desfavorável, sobretudo na doença avançada, cujo único tratamento ativo na paciente sem mutação germinativa em BRCA1 ou BRCA2 é quimioterapia citotóxica, com desfechos de sobrevida muito aquém do desejado, e sobrevida global mediana em séries de vida real recentes, em torno de 12 a 15 meses.

Frente a esse cenário, a agência norte-americana FDA (Food and Drug Administration) concedeu aprovação acelerada do anticorpo monoclonal anti-PDL-1 atezolizumabe em combinação com quimioterapia para o tratamento inicial do câncer de mama triplo-negativo metastático com expressão positiva de PDL-1, baseado nos dados do estudo IMpassion130.

Nesse estudo de fase III, 902 pacientes com câncer de mama triplo-negativo avançado ou metastático foram randomizadas para receber tratamento de primeira linha com nab-paclitaxel associado a atezolizumabe ou placebo. Os pacientes poderiam já ter recebido taxano no cenário de doença localizada, desde que a exposição a essa classe de drogas tivesse sido há mais de 12 meses.

Na análise dos resultados da população por intenção de tratamento, com um seguimento mediano de 12,9 meses, o tratamento com nab-paclitaxel + atezolizumabe foi associado a uma redução relativa de 20% no risco de progressão ou morte quando comparado ao grupo de pacientes que receberam o quimioterápico associado a placebo (HR=0,80; IC de 95%: 0,69-0,92; p=0,002), objetivo primário do estudo. Dentre as pacientes com PDL-1 positivo (expressão ≥1% nas células imunes pelo anticorpo SP142 da Ventana), que correspondiam a cerca de 40% da população do estudo, o benefício em sobrevida livre de progressão foi ainda maior (HR=0,62; IC de 95%: 0,49-0,78; p<0,001).

A análise de sobrevida global, objetivo secundário do estudo, ainda é imatura, sendo os resultados expostos ainda exploratórios, com apenas 40% dos eventos reportados. Há, entretanto, sugestão de benefício para o tratamento combinado de nab-paclitaxel + atezolizumabe na população PDL-1 positiva, com sobrevida global mediana de 25 versus 15,5 meses (HR=0,62; IC de 95%: 0,45-0,86).

A taxa de resposta nas pacientes PDL-1 positivo foi da ordem de 58,9%, com 10,3% de respostas completas com o tratamento combinado versus 42,6% e 1,1%, respectivamente, naquelas que receberam placebo. Nas análises de segurança, a taxa de eventos adversos de graus igual ou superior a 3 nas pacientes que receberam o imunoterápico foi de 48,7%, versus 42,2% no grupo controle, destacando-se como os mais comuns neutropenia, neuropatia periférica, fadiga e anemia.

 

Fonte: Manual de Oncologia Clínica do Brasil (MOC)

 

Curta nossa página no Facebook! Voltar