Notícias

Pembrolizumabe combinado com quimiorradioterapia mostra bons resultados para casos de câncer de cabeça e pescoço com HPV positivo

10 de janeiro de 2019

A adição de pembrolizumabe (Keytruda) a um regime de quimiorradioterapia rendeu taxas de resposta completas de 85% em pacientes com carcinoma de células escamosas avançado positivo para papilomavírus humano (HPV) da cabeça e pescoço. Estes resultados foram apresentados na Reunião Anual da Sociedade de Imunoterapia de Câncer de 2018 (SITC).

“Os dados para pembrolizumabe e quimioradioterapia em pacientes HPV positivos com câncer de cabeça e pescoço mostram taxas de resposta encorajadoras e sobrevida livre de progressão em uma população predominantemente de alto risco”, disse o investigador principal Steven Powell, MD , do Sanford Cancer Center, Sioux Falls , Dakota do Sul.

Como Dr. Powell explicou, a radioterapia e a quimioterapia podem induzir a regulação positiva do ligante 1 da morte celular programada (PD-L1) no microambiente do tumor, indicando um mecanismo de escape imune e fornecendo uma justificativa para a adição da proteína antiprogramada de morte celular 1 (anti PD-1) / PD-L1 ao tratamento. Além disso, alguns modelos de camundongos mostraram que os cânceres de cabeça e pescoço são “tumores frios” que não respondem apenas à inibição do ponto de checagem, mas a adição de quimiorradiação cria sinergia que aumenta a regressão do tumor. Tais descobertas levaram a esta fase do estudo de pembrolizumabe mais quimiorradioterapia em câncer avançado de cabeça e pescoço, disse ele.

 

Fonte: The ASCO Post

Curta nossa página no Facebook! Voltar